Blog

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Deus 'quer' wi-fi grátis, onipresente e sem senha, diz ícone do software livre


Deus 'quer' wi-fi grátis, onipresente e sem senha, diz ícone do software livre
John Hall, da Linux International, participou da Campus Party 2011.
Segundo ele, é possível fazer dinheiro usando hardware e software livres.

Uma das figuras mais importantes do movimento que defende o uso de software livre participou da Campus Party 2011 nesta quarta-feira (19) para convencer as pessoas loucas por tecnologia a usarem seu conhecimento para ajudar os outros. Jon Hall, que há anos luta para se livrar do apelido "Maddog" (em inglês, "cachorro louco"), defendeu ainda a distribuição gratuita de internet via wi-fi nos grandes centros urbanos.

“Internet sem fio livre, que não precisa de senha e nem de termos. Foi assim que Deus entendeu que a internet deveria ser”, afirmou o atual diretor-executivo da Linux International. No evento, Hall voltou a falar no Projeto Cauã, apresentado em julho de 2010 na última Feira Internacional do Software Livre (fisl) em Porto Alegre. O projeto tem como objetivo criar computadores simples e baratos, conhecidos com "thin clients", para democratizar o acesso à informação.

“Eu fui vendedor de sistemas de computação para levar os PCs para as pessoas. Mas vocês são muito ‘geek’. Vocês ficam tão focados na tecnologia que se esquecem de algumas coisas, como tomar banho”, brincou Hall.

Durante a palestra, ele explicou como é possível ser um empreendedor e fazer dinheiro usando hardware e software livres. “No Brasil, a internet não está tão longe das pessoas que não tem acesso. Eu quero mostrar como todo mundo pode ter internet”, disse.

Segundo "Maddog", essas pessoas poderiam usar dispositivos de acesso baratos e buscar informação e treinamento para conseguir um novo emprego. “Eu quero criar milhões de empregos, criar computadores mais sustentáveis e fáceis de usar. Nós achamos fáceis porque somos ‘geeks’ e gostamos se sofrer”.

Fonte: G1.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Alterando a posição dos botões do Ubuntu 10.04

Olá! Faz um bom tempo que não publico nada por aqui. Mas enfim, hoje irei escrever sobre algo simples e rápido que pode vir a ser uma boa solução para muitos que estejam incomodados (como foi o meu caso) com o estilo dos botões da última versão do Ubuntu.

Não sou especialista em Linux, mas quero compartilhar essa solução que apliquei recentemente…

O padrão das janelas da versão 10.04 foi inspirado no MAC OS X, com os botões minimizar, maximizar e fechar do lado superior esquerdo. Como sempre utilizei esse recurso do lado direito, sempre que eu alterava o tema para o default da distribuição me sentia muito improdutivo, pois sempre direcionava o mouse para a região de costume. :s

É muito simples alterar a posição destes botões e até é possível ordená-los da forma que te agradar melhor.

Para começar abra o terminal e aplique o comando gconf-editor.

Na janela que será aberta, navegue pela estrutura presente no lado esquerdo seguindo os passos: Apps / Metacity / General e clique duas vezes sobre a chave button_layout, e adicione “menu:” no início e remova o “:” no final, tudo sem aspas.

A minha linha ficou da seguinte forma: menu:minimize,maximize,close

Espero que vocês tenham gostado e que seja útil como foi para mim rsrs. Se cometi algum erro por favor sinta-se à vontade para corrigi-ló, caso tenha alguma dúvida, sugestão ou elogio deixe seu comentário ou se preferir mande um twitte para @leonardo_tm que responderei com o maior prazer e o mais breve possível.

Dica do blog do ogordo.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Influência do pensamento na saúde

Você sabe até que ponto o tipo de pensamentos que cultiva durante o dia pode influenciar a produção ou a cura das doenças de que cada um de nós padece?

Se é feliz é porque a maior parte daquilo que pensa é positivo; se sente depressão, apatia, então está permitindo que os pensamentos de tristeza invadam a sua mente.
Isso mesmo afirmava o dr. Deepak Chopra:"Você é aquilo que pensa. A qualquer momento, sua saúde é a soma de todos os impulsos, positivos e negativos, que emanam de sua consciência. Esse cálculo deve ser feito também para todos os outros estados de espírito: raiva, medo, inveja, cobiça, bondade, compaixão, benevolência e amor. Tudo é pensamento. Quando um deles predomina, você desenvolve o estado mental correspondente, e uma determinada condição fisiológica.”
O corpo do homem é, pois, o reflexo do modo como funciona a sua mente, ou seja, tudo o que acontece no universo da mente, necessariamente deixa marcas no físico.
Embora a área da medicina picossomática seja uma das que mais se tem desenvolvido recentemente, com o estudo dos neurotransmissores cerebrais, fantástico complexo de estruturas neurológicas, endócrinas e substâncias químicas, já Hipócrates, 400 a.C., se referia à influência da mente sobre o corpo, falando dos “humores” (estado emocional).

Emmanuel, alerta-nos de que “o pensamento sombrio adoece o corpo são e agrava os males do corpo enfermo”. E André Luiz, sobre a influência patogénica do pensamento, afirma: “Dirija um homem a sua vontade para a ideia de doença e a moléstia lhe responderá ao apelo.”

Recorda-nos aqueles casais muito unidos que, ao partir um deles para o mundo espiritual, o outro, muitas vezes, não demora em segui-lo, quando não conseguindo aceitar a perda, se entrega a uma depressão profunda.

Ao fragmentar-se a consciência, surge um conflito no sistema mente-corpo, causador da doença, originando o que a medicina moderna define como componente psicossomático das enfermidades. Por outro lado, curas rápidas e completas decorrem desse poder do pensamento que, aliado à vontade, pode operar verdadeiros “milagres”.

E isto sucede nos dois lados da vida: a terrena e a espiritual, pois o pensamento é um fluxo fluídico, é matéria subtil e a vontade é força abstracta, imaterial. Ambos, porém, são forças prodigiosas e capazes de plasmar a matéria.
Utilizando, também, o poder do binómio pensamento e vontade, um Espírito desencarnado pode produzir o fenómeno mediúnico da licantropia, ou seja, adoptar posturas de cão e de lobo. André Luiz conta como através de intenso e prolongado processo hipnótico, uma entidade obsessora e vingativa, pode conduzir a sua vítima a sentir-se como um animal e a agir como tal, desenrolando-se enormes dramas que só o tempo e a misericórdia divina podem ajudar a resolver.

Jesus realizou curas “milagrosas”, apelando sempre à fé daqueles a quem curava e admoestou os seus discípulos, quando lhes dirigiu a máxima: “homens de pouca fé!"


O Bhagavad-Gita, famoso universalmente como a jóia da sabedoria espiritual da Índia, diz, no verso 5, Cap. 6:"Com a ajuda de sua mente, a pessoa deve libertar-se, e não degradar-se. A mente é amiga da alma condicionada, e sua inimiga também”.

Constata-se, assim, mais uma vez, o princípio de causa e efeito. O que pensamos e fazemos tem influência sobre nós e os outros, levando-nos a reflectir de que a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Isto nos ensina a Moral espírita.

Em suma, pensamentos elevados, optimistas e orientados para o bem, aportam-nos saúde. Pensamentos inferiores, de tristeza e revolta, de raiva e inveja, orientados para o mal, resultam em muitas das moléstias de que padecemos, de difícil diagnóstico.
Vencer ou perder essa batalha está nas nossas mãos, quando disso tomamos consciência e encetamos a luta.

Que tal começar hoje mesmo?

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Saiba o que é e como escolher a memória RAM do seu computador

Veja qual a quantidade ideal para diferentes tipos de máquinas.

Uma das peças fundamentais no bom desempenho de um computador é a memória RAM. Mas você sabe qual a importância dela para o sistema? Qual a quantidade ideal que você deve instalar? Como escolher na hora da compra?

O que é memória RAM

A sigla RAM vem de Random Access Memory, que em português significa “memória de acesso randômico” (aleatório). Na memória RAM os dados não são armazenados de forma seqüencial. Isso permite um ganho de desempenho, pois o sistema operacional não precisa se preocupar com a ordem dos dados, apenas com a posição deles.

A memória RAM é usada pelo sistema operacional e pelos softwares para carregar os arquivos e efetivamente usá-los. Ela armazena os programas e dados que estão sendo usados em determinado momento pelo computador. Enquanto você lê este texto, por exemplo, seu navegador de internet usa uma parcela da memória RAM de seu computador. Ao fechar o programa, a memória que estava sendo usada fica disponível para outros aplicativos. Ou seja: a RAM é volátil, pois armazena o conteúdo enquanto a informação em questão estiver em uso.

Importância da memória RAM

Um computador com pouca memória, ou memória de qualidade ruim, pode ter o desempenho comprometido, principalmente no uso de aplicativos mais pesados e jogos.

Cada programa consome certa quantidade de memória RAM. O Word, por exemplo, consome cerca de 99 MB; o MSN usa cerca de 50 MB, e o Windows Media Player consome 30 MB. Os navegadores usam cerca de 30 MB, mas aumentam o consumo quando você abre novas abas ou janelas.

Os sistemas operacionais têm um recurso usado para aliviar o consumo da RAM. Trata-se da memória virtual, que usa um espaço no HD (disco rígido) para armazenamento temporário de arquivos e programas. A memória virtual é útil, mas lenta.

O desempenho do PC começa a ser afetado quando a memória RAM chega ao seu limite – então, o sistema operacional passa a usar a memória virtual. Nesse momento, é perceptível um aumento no uso do HD, identificado pelo led presente no gabinete do computador (ele passa a piscar de forma mais intensa). É comum que, nesse momento, as telas fiquem momentaneamente congeladas, dificultando as atividades. Nesses casos, é recomendado é fechar alguns programas para reduzir o consumo de memória e até mesmo reiniciar o sistema.

Quantidade de memória

A máxima "quanto mais, melhor" se aplica neste caso. Mas como nem sempre essa filosofia pode ser colocada em prática (principalmente por conta dos gastos ou limitações citadas abaixo), vou dar dicas relacionadas aos diferentes perfis de usuários de tecnologia.

Antes disso, é importante conhecer algumas limitações no uso desse tipo de memória. O Windows (XP, vista e seven) de 32 bits, usado pela maioria das pessoas, tem um limite de 3GB de RAM. Para que o sistema reconheça mais que isso, é necessário usar o Windows (XP, vista e seven) 64 bits, desde que o processador tenha este mesmo barramento, que também trabalha com esse valor de 64 bits. O Linux reconhece mais de 3 GB, mediante a configurações.

Computador no trabalho - uso básico
Para quem usa editores de textos, apresentações, planilhas eletrônicas e internet corporativa, recomendo 1 GB, caso o computador tenha o sistema operacional Windows XP ou Linux. Se a máquina rodar Windows Seven, o ideal é de 1 GB a 2 GB. Obs: A versão do Windows Seven Starter é limitada a funcionar apenas com 1 Gb.

Computador no trabalho - uso intenso
Muitos profissionais usam suas máquinas para rodar programas de editoração eletrônica, de design, para trabalhar com grandes massas de dados em planilhas eletrônicas ou bancos de dados locais. Nesses casos, recomendo pelo menos 2 GB de RAM no Windows XP e Linux. Se a máquina rodar Windows Seven, o ideal é 3 GB.

Computador doméstico - uso básico
A regra aqui é a mesma para aqueles que fazem uso básico na máquina do trabalho (editores de textos, apresentações, planilhas eletrônicas e internet): 1 GB no caso do Windows XP ou Linux, de 1 GB a 2 GB no caso do Windows Seven.

Computador doméstico - uso intenso
Para quem quer o máximo em desempenho, jogar os games mais avançados e trabalhar com sobra de hardware, recomendo pelo menos 3 GB no Windows XP e Linux e pelo menos 4 GB no Windows Seven.

Tipos de memória

O formato da memória RAM é determinado pelo fabricante da placa-mãe, sendo que cada placa aceita apenas um tipo de memória. Claro que esses formatos são padronizados pelo mercado e variam na capacidade de armazenamento, velocidade de acesso e tipo de slot que podem ser encaixados. Num passado recente, existiam formatos como DRAM, SDRAM, RDRAM e outras, mas atualmente o formato mais usado é o DDR e suas evoluções DDR2 e DDR3 (veja detalhes abaixo).

Para saber mais detalhes da placa-mãe na hora da compra, pergunte ao vendedor o tipo de memória suportada (DDR2, DDR3, etc) e quantos slots - local na placa-mãe onde ficam os pentes de memória - disponíveis existem. Essas informações são muito importantes na hora de fazer o upgrade da máquina.

Assim como acontece nos processadores, em que a freqüência determina a velocidade de processamento das informações, a freqüência também é importante na RAM: neste caso, ela determina a velocidade com que o dados são trocados entre a memória e os demais dispositivos como processador, disco rígido, etc.

Fique atento às faixas de freqüência da memória que a placa-mãe suporta e também a freqüência das memórias que estão sendo adquiridas ou já estão no PC. Qualquer atualização requer memórias de mesmo formato e freqüência.

DDR

É comum em computadores mais antigos - atualmente, não são mais fabricadas placas com este formato de memória. Elas têm freqüências que vão de 100 MHz até 400 MHz e seus módulos (nomenclatura que identifica formatos e freqüências, facilitando localizar qual memória comprar) são: PC1600, PC2100, PC2400, PC2700 e PC3200.

DDR2
É o padrão mais usado atualmente. O DDR2 é uma evolução do DDR, e proporciona leituras mais rápidas, facilitando o tráfego de dados. A freqüência varia de 400 MHz até 1066 MHz e os módulos são: PC2-3200, PC2-4200, PC2-5300, PC2-6400 e PC2-8500.

DDR3
Os PCs mais poderosos do mercado contêm esse formato. Ele visa o alto desempenho por trabalhar com freqüências mais elevadas e é uma das tecnologias mais modernas. A freqüência varia de 800 MHz até 1600 MHz e os módulos são: PC3-6400, PC3-8500, PC3-10600 e PC3-12800.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Melhorar o desempenho do PC

Bem, vamos fazer uma manutenção preventiva no seu micro.

1 - Procure um programa chamado "ccleaner", instale seguindo as instruções do próprio programa.
2 - Vamos executar o programa ele tem essa interface:

3 - Clique no ícone na esquerda chamado "limpeza" e analisar que fica na barra embaixo do próprio programa. Aguarde finalizar a avaliação.
4 - Clique em executa limpeza.
5 - Agore clique na barra da letaral esquerda no botão registro.
6 - Clique em procurar erros e espere o relatório.
7 - Clique em "corrigir erros selecionados".
8 - O programa lehe pergutará se você quer fazer uma cópia do registro selecionado clique em "não".
9 - Clique em corrigir todos os erros selecionados depois em ok.
10 - Renicie seu pc e pronto.
11 - Faça esse procedimento regularmente.